Dia Mundial da Doença de Parkinson – 11 de abril de 2019

Celebra-se a 11 de abril o Dia Mundial da Doença de Parkinson, um iniciativa da Associação Europeia da Doença de Parkinson (EPDA). A data lembra o nascimento de James Parkinson, o médico que descreveu a doença pela primeira vez o século XVIII.

A doença de Parkinson é uma doença degenerativa e lentamente progressiva de áreas  específicas do sistema nervoso central (cérebro e medula espinhal), para a qual ainda não existe cura. Desenvolve-se quando determinadas células nervosas (neurónios) cerebrais morrem. Estes neurónios produzem a dopamina, que ajuda a transmitir as mensagens entre áreas do cérebro que controlam os movimentos corporais.

Os principais sintomas desta doença são tremor em repouso, rigidez muscular, dificuldade em caminhar, equilibrar-se e engolir. A causa da doença de Parkinson ainda não foi encontrada, no entanto é consensual que a mesma possa resultar de fatores genéticos, bem como fatores tóxicos ambientais tais como a exposição tóxica a herbicidas e pesticidas.

A Doença de Parkinson é a segunda doença neurodegenerativa mais comum, à escala mundial estima-se que existam 7 a 10 milhões de pessoas que vivem com esta doença.

Em portugal, cerca de 20 mil portugueses sofrem de doença de Parkinson e prevê-se que,  com o aumento da longevidade da população, esta doença aumente nos próximos vinte anos, afectando cerca de 30 mil portugueses. A sua prevalência aumenta com a idade, sendo rara antes dos 50 anos, e é mais comum nos homens do que nas mulheres. No entanto, em 5% dos casos a Doença de Parkinson surge antes dos 40 anos.

Embora não exista cura, os sintomas podem ser controlados através de diversos tipos de medicamentos. Esses medicamentos estimulam a libertação de dopamina, imitam a sua ação ou impedem a sua degradação. No entanto, a escolha do tratamento adequado para a Doença de Parkinson dependerá da fase da doença.

Alguns estudos referem o interesse da utilização de alguns antioxidantes e suplementos contendo vitamina E e C. São igualmente importantes medidas como a prática regular de exercício físico e uma dieta equilibrada que permitem oferecer melhor qualidade vida e melhorar o controlo corporal.

Nutricionista Joana R Oliveira (3556N) – Urbanfit Maia

Dia Nacional do Doente com Artrite Reumatóidecelulite