POLÍTICA DE PRIVACIDADE

1.   Introdução

O Regulamento Geral de Protecção de Dados (RGPD), relativo à protecção das pessoas singulares, no que diz respeito ao tratamento de dados pessoais e à livre circulação desses dados, entrou em vigor no dia 25 de Maio de 2016 sendo aplicável a partir de 25 de Maio de 2018.

Tratando-se de um Regulamento comunitário, é de aplicação directa em todos os Estados Membros, garantindo, deste modo, uma harmonização legislativa ao nível da protecção de dados.

Apesar das matérias a que se refere o regulamento não serem totalmente novas, sendo já abrangidas pela anterior Lei de Protecção de Dados, o regulamento impõe novas regras e obrigações a todas as organizações.

2.   Definições

  • Dados Pessoais: Informação relativa a uma pessoa singular identificada ou identificável (“titular dos dados”); é considerada identificável uma pessoa singular que possa ser identificada, directa ou indirectamente, em especial por referência a um identificador, como por exemplo um nome, um número de identificação, dados de localização, identificadores por via electrónica ou por referência a um ou mais elementos específicos da identidade física, fisiológica, genética, mental, económica, cultural ou social da pessoa
  • Categorias especiais de dados pessoais: Dados que revelem a origem racial ou étnica, as opiniões políticas, as convicções religiosas ou filosóficas, a filiação sindical, bem como dados genéticos, dados biométricos para identificar uma pessoa de forma inequívoca, dados relativos à saúde ou dados relativos à vida sexual ou orientação sexual de uma
  • Dados relativos à saúde: Dados pessoais relacionados com a saúde física ou mental da pessoa, incluindo dados relacionados com a prestação de serviços de saúde, que revelam informações sobre o seu estado de saúde.
  • Dados genéticos: Dados pessoais relativos às características genéticas, hereditárias ou adquiridas, de uma pessoa singular, que dêem informações únicas sobre a fisiologia ou a saúde dessa pessoa singular e que resulta designadamente de uma análise de uma amostra biológica proveniente da pessoa singular em causa.
  • Dados biométricos: Dados pessoais resultantes de um tratamento técnico específico relativo às características físicas, fisiológicas ou comportamentais de uma pessoa singular que permitam ou confirmem a identificação única dessa pessoa singular, nomeadamente imagens faciais ou dados dactiloscópicos.
  • Responsável pelo tratamento: A pessoa singular ou colectiva que determina as finalidades e os meios de tratamento de dados pessoais .
  • Subcontratante: A pessoa singular ou colectiva que trata os dados por conta do responsável pelo tratamento (ex. um fornecedor de serviço de suporte a um Sistema de Informação que contenha dados pessoais).
  • Titular dos dados: A pessoa singular identificada ou identificável (nos termos definidos na alínea a)) que é titular da informação tratada ou “a quem a informação respeita ou está associada” (ex. um cliente).
  • Tratamento de dados pessoais: uma operação ou conjunto de operações sobre dados pessoais, por meios automatizados ou não automatizados, tais como a recolha, o registo, a organização, a estruturação, a conservação, a adaptação ou alteração, a recuperação, a consulta, a utilização, a divulgação por transmissão, difusão ou qualquer outra forma de disponibilização, a comparação ou interconexão, a limitação, o apagamento ou a destruição (ex. criação da ficha de cliente).
  • Encarregado de protecção de dados (DPO – Data Protection Officer): Pessoa designada pela organização que informa e presta assessoria relativamente às obrigações da URBANFIT no âmbito da protecção dos dados pessoais. Também presta aconselhamento relativamente a avaliações de impacto sobre a protecção de dados e controla a sua implementação, sendo ainda o ponto de contacto com a autoridade de controlo.

3.   Princípios relativos ao tratamento de dados pessoais

A URBANFIT  procede ao tratamento de dados pessoais de clientes, fornecedores e colaboradores. Estes tratamentos devem obedecer a um conjunto de princípios, devendo os dados pessoais ser:

  1. Objecto de um tratamento lícito, leal e transparente;
  2. Recolhidos para fins específicos, explícitos e legítimos, não podendo ser usados posteriormente de uma forma incompatível com a finalidade inicialmente definida;
  3. Adequados, relevantes e limitados ao que é necessário;
  4. Precisos e actualizados;
  5. Mantidos por não mais do que é necessário para o propósito ou propósitos especificados;
  6. Tratados de forma a garantir um nível de segurança

A URBANFIT deve garantir e conseguir demonstrar conformidade com todos os princípios supramencionados.

4.   Tratamento dos dados pessoais

Para que o tratamento de dados pessoais seja lícito é necessário que preencha uma das seguintes condições de legitimidade (denominadas bases de licitude):

  • Legítimos interesses da empresa;
  • Defesa dos interesses vitais do titular;
  • Consentimento;
  • Execução de um contrato;
  • Obrigação legal/regulamentar.

Exemplo: a URBANFIT deverá garantir que a informação do cliente é usada apenas para a finalidade para a qual é recolhida e que o objectivo está concretamente definido.

Os dados pessoais devem ser mantidos de forma segura, não devendo ser divulgados a terceiros, excepto em situações nas quais essa partilha tenha sido consentida explicitamente pelo titular dos dados ou em situações exigidas por lei.

5.   Direitos dos titulares dos dados pessoais

A URBANFIT, enquanto responsável pelo tratamento, deverá assegurar os direitos dos titulares em matéria de protecção de dados pessoais.

É importante que a URBANFIT tome medidas no sentido de garantir que a pessoa que pretende exercer os seus direitos sobre os dados é, realmente, o titular dos mesmos. Se a URBANFIT tiver dúvidas razoáveis quanto à identidade da pessoa que apresenta o pedido, poderá solicitar as informações adicionais necessárias para confirmar a sua identidade.

A URBANFIT fornece ao titular as informações sobre as medidas tomadas relativamente aos seus pedidos, sem demora injustificada, e no prazo de um mês a contar da data de recepção do pedido.

Se a URBANFIT não der seguimento ao pedido apresentado pelo titular dos dados, deverá informá-lo sem demora e o mais tardar no prazo de um mês a contar da data de recepção do pedido, das razões que a levaram a não tomar medidas e da possibilidade do titular apresentar reclamação a uma autoridade de controlo e intentar acção judicial.

As informações e comunicações devem ser concedidas a título gratuito. Contudo, se os pedidos forem manifestamente infundados ou excessivos, nomeadamente devido ao seu carácter repetitivo, a URBANFIT poderá exigir o pagamento de uma taxa razoável tendo em conta os seus custos ou recusar o seguimento do pedido.

Direito à informação
A URBANFIT deve disponibilizar ao titular informações sobre as actividades de tratamento dos seus dados. Qualquer comunicação a este respeito deve ser prestada de forma concisa, transparente, acessível e utilizando uma linguagem clara e simples.

Estas informações podem ser fornecidas por escrito, electronicamente ou, se assim solicitado, prestadas oralmente.

No momento da recolha de dados pessoais, o titular deve ser informado sobre:

  1. A identidade e contactos do responsável pelo tratamento e do DPO, se for caso disso;
  2. As finalidades do tratamento e o fundamento jurídico para o tratamento (ver 4);
  3. As categorias dos dados pessoais;
  4. Os destinatários ou categorias de destinatários dos dados pessoais;
  5. O prazo de conservação dos dados pessoais ou, se não for possível, os critérios usados para definir esse prazo;
  6. Os direitos de que goza o titular dos dados e como poderá exercê-los;
  7. O direito de apresentar reclamação a uma autoridade de controlo;
  8. A existência de decisões automatizadas, bem como a importância e consequências das mesmas, caso

Por exemplo, no momento da criação da ficha de cliente, este deve ser informado de todos os pontos acima referidos.

 Direito ao acesso
A qualquer momento, o titular dos dados tem o direito de obter da URBANFIT a confirmação de que os dados pessoais que lhe dizem respeito são ou não objecto de tratamento e, se for esse o caso, têm o direito de aceder aos seus dados e às seguintes informações:

  1. As finalidades do tratamento;
  2. As categorias dos dados pessoais;
  3. Os destinatários ou categorias de destinatários dos dados pessoais;
  4. O prazo de conservação dos dados pessoais ou os critérios a utilizar para o definir;
  5. Os direitos que são conferidos ao titular dos dados ao abrigo do RGPD;
  6. O direito de apresentar reclamação a uma autoridade de controlo;
  7. A origem dos dados pessoais.

Estas informações podem ser fornecidas por escrito, electronicamente ou, se assim solicitado, prestadas oralmente.

Por exemplo, um cliente/utente poderá pedir informação sobre os dados pessoais que lhe dizem respeito, nomeadamente as suas compras relativas aos últimos seis meses; e um colaborador poderá pedir, de forma genérica, todas as finalidades para as quais são tratados os seus dados pessoais.

Direito de rectificação
O titular dos dados tem o direito de obter da URBANFIT, sem demora injustificada, a rectificação dos dados pessoais inexactos que lhe digam respeito, bem como o direito a que os seus dados incompletos sejam completados.

Por exemplo, um cliente poderá pedir à URBANFITpara rectificar os seus dados, apresentando para isso informações credíveis.

A URBANFIT deve comunicar a rectificação a entidades terceiras a quem os dados pessoais foram transmitidos, salvo se tal comunicação se revelar impossível ou implicar um esforço desproporcionado.

Direito à portabilidade
A URBANFIT deverá assegurar que, quando o tratamento dos dados pessoais se basear no consentimento do titular ou na execução de um contrato, e se realizar por meios automatizados, o titular tem o direito a:

  1. Receber os seus dados pessoais que foram objecto de tratamento e este tenha fornecido, num formato estruturado, de uso corrente e leitura automática;
  2. Transmitir esses dados a outro responsável pelo tratamento sem que o responsável a quem os dados foram fornecidos o possa

 Direito à oposição
O titular dos dados tem o direito, a qualquer momento, de se opor ao tratamento dos seus dados, por motivos relacionados com a sua situação particular.

 Direito à limitação do tratamento
O titular dos dados tem o direito de solicitar à URBANFIT a limitação do tratamento dos seus dados pessoais quando se verifiquem determinadas situações como, por exemplo:

  1. quando o titular contestar a exactidão dos seus dados, aplicando-se a limitação do tratamento durante o período necessário à verificação, pelo responsável, daquela exactidão (ex. um cliente poderá proceder à rectificação da sua morada e enquanto decorrem os procedimentos de verificação, as acções de marketing dependentes da morada do titular, serão suspensas);
  2. o tratamento dos dados for ilícito e o titular dos dados se opuser ao seu apagamento, solicitando antes a limitação do tratamento;
  3. quando os dados pessoais já não sejam necessários para fins de tratamento, mas sejam requeridos pelo titular dos dados para efeitos de declaração, exercício ou defesa de um direito num processo judicial.
  4. Quando um titular se tiver oposto ao tratamento dos seus dados pessoais, este deverá ser limitado até se verificar que os motivos legítimos do responsável pelo tratamento prevalecem sobre os do titular dos

Por outras palavras, a limitação é a suspensão de actividades de tratamento de dados, podendo ser temporária e/ou referente a um âmbito de tratamento concreto. (ex. não receber SMS’s em contexto de acções de marketing).

Direito ao apagamento (ou a “ser esquecido”)
Os titulares dos dados pessoais podem solicitar que os seus dados sejam totalmente apagados, sem demora injustificada e, neste sentido, a URBANFIT deverão proceder ao apagamento dos mesmos.

Este direito apenas poderá ser concedido ao titular nas seguintes situações:

  1. Os dados pessoais deixaram de ser necessários para a finalidade que motivou a sua recolha ou tratamento;
  2. O titular de dados pessoais retirou o consentimento no qual se baseia o tratamento dos dados pessoais, não existindo qualquer outro fundamento jurídico que justifique o tratamento dos mesmos;
  3. O titular exerce o direito de oposição ao tratamento dos seus dados pessoais, por motivos relacionados com a sua situação particular, quando a base de licitude for o interesse legítimo da empresa, desde que não existam outras razões imperiosas e legítimas prevalecentes;
  4. O titular exerce o direito de oposição ao tratamento, quando os dados pessoais são tratados para efeitos de comercialização directa;
  5. Existe uma obrigação jurídica para o apagamento dos dados pessoais;
  6. A recolha dos dados pessoais foi feita no contexto da oferta de serviços da sociedade de informação;
  7. Quanto tiver sido ultrapassado o período de conservação definido para os

No entanto, a URBANFIT não deve deferir o apagamento quando o tratamento se revele necessário:

  1. Ao cumprimento de uma obrigação legal que exija o tratamento prevista pelo direito da União Europeia ou de um Estado-Membro a que a URBANFIT esteja sujeita;
  2. Ao exercício de funções de interesse público ou ao exercício da autoridade pública de que esteja investido o responsável pelo tratamento de dados pessoais;
  3. Por motivos de interesse público no domínio da saúde pública;
  4. Para fins de arquivo de interesse público, para fins de investigação científica ou histórica ou para fins estatísticos, na medida em que o direito referido seja susceptível de tornar impossível ou prejudicar gravemente a obtenção dos objectivos desse tratamento; ou
  5. Para efeitos de declaração, exercício ou defesa de um direito num processo judicial.

Caberá à URBANFIT criar mecanismos que assegurem que, uma vez exercido o direito ao apagamento, os dados são eliminados efectivamente dos seus sistemas e arquivos, sem prejuízo das excepções que possam ser aplicáveis em cada caso (ex. obrigações legais).

6.   Acesso    a   dados    pessoais    por    parte    das    autoridades competentes

A autoridade de controlo constitui a entidade que irá proceder à fiscalização das normas referentes à protecção de dados pessoais, com o objectivo de defender os direitos e liberdades fundamentais das pessoas singulares relativamente ao tratamento e ainda facilitar a livre circulação desses dados na União Europeia.

Esta autoridade tem o poder de investigação, podendo, neste âmbito, ordenar que a URBANFIT lhe forneça as informações que necessita para o desempenho das suas funções, podendo ainda obter o acesso às instalações da URBANFIT, incluindo os equipamentos e os meios de tratamento dos dados pessoais.

A URBANFIT, enquanto responsáveis pelo tratamento de dados pessoais, ou nas situações em que procedem ao tratamento enquanto subcontratantes, devem cooperar com a autoridade de controlo, a pedido desta.

7.   Marketing

Se a URBANFIT pretender proceder ao envio de mensagens para finalidades de marketing, cuja recepção seja independente da intervenção do destinatário, é necessário o consentimento prévio do mesmo.

Não é necessário consentimento caso se trate de mensagens enviadas a pessoas colectivas, ficando, no entanto, aberta a possibilidade de não receber.

O destinatário deve ter acesso a meios que lhe permitam a qualquer momento recusar o envio destas mensagens, sem qualquer ónus. O consentimento deve ser tão fácil de retirar quanto de dar (ex. opção de opt-out/unsubscribe nos emails enviados).

Caso o destinatário decida recusar estas comunicações, a partir desse momento, não deverão ser enviadas comunicações para efeitos daquela operação de marketing.

8.   Responsabilidade dos responsáveis pelo tratamento de dados pessoais

Tendo em conta a natureza, o contexto, as finalidades e o risco para os direitos e liberdades das pessoas singulares, decorrentes de uma actividade de tratamento de dados, a URBANFIT deverá aplicar as medidas técnicas e organizativas adequadas para assegurar, e comprovar, que o tratamento é realizado em conformidade com as exigências legais. Essas medidas devem ser revistas e actualizadas consoante as necessidades.

Sempre que que as actividades principais do responsável pelo tratamento consistam em operações de tratamento em grande escala de categorias especiais de dados, é obrigatória a nomeação de um encarregado de protecção de dados (DPO).

Neste sentido, a URBANFIT deve nomear um DPO com base nas suas qualidades profissionais e nos seus conhecimentos especializados no domínio do direito de protecção de dados pessoais. O nível de conhecimentos especializados deverá ser determinado em função das operações de tratamento realizadas e da protecção exigida para os dados pessoais objecto de tratamento.

O DPO deverá assegurar:

  1. O aconselhamento da URBANFIT, bem como os seus colaboradores, no que diz respeito às suas obrigações e ainda no que respeita às avaliações de impacto sobre a protecção de dados pessoais;
  2. A cooperação com a autoridade de controlo, devendo ser o ponto de contacto com esta entidade sobre questões relacionadas com o tratamento de dados pessoais;
  3. Que a URBANFIT cumpre as exigências do presente código de conduta e as políticas relativas à protecção de dados

9.   Relação com os subcontratantes

Todas as pessoas singulares ou colectivas que tratem os dados pessoais por conta da URBANFIT terão de apresentar garantias suficientes de execução de medidas técnicas e organizativas adequadas de forma a que o tratamento satisfaça os requisitos legais e assegure a defesa dos direitos do titular dos dados.

O tratamento por parte do subcontratante deverá ser regulado por um contrato que estabeleça o objecto, a duração do tratamento, a natureza, as finalidades do tratamento, o tipo de dados pessoais, as categorias dos titulares dos dados e as obrigações e direitos do responsável pelo tratamento.

O contrato celebrado deverá estabelecer, nomeadamente, que os subcontratantes obedecem às instruções que lhes são dadas pela URBANFIT, que assumiram um compromisso de confidencialidade ou estão sujeitas a adequadas obrigações legais de confidencialidade, que adoptam as medidas de segurança no tratamento e que apresentam as garantias supra-referidas.

Por outro lado, a URBANFIT também pode ser subcontratante.

Assim, a URBANFIT deve tratar os dados pessoais apenas conforme as instruções documentadas do responsável pelo tratamento.

10.   Segurança no tratamento

A URBANFIT terá de aplicar medidas técnicas e organizativas para garantir um nível de segurança adequado ao risco, de forma a evitar a destruição, perda e alteração acidentais ou ilícitas, a divulgação ou

o acesso não autorizados aos dados pessoais.

É necessário ter em atenção as potenciais vulnerabilidades do sistema e efectuar uma previsão do impacto que essas podem causar nos titulares, de modo a avaliar os riscos e definir as medidas de controlo mais adequadas. Após a avaliação de impacto efectuada, o resultado desta deverá influenciar as medidas que são adoptadas consoante o que a URBANFIT entender como adequado, nomeadamente através dos seguintes mecanismos:

  1. a pseudonimização e a cifragem dos dados;
  2. a capacidade de assegurar a confidencialidade, integridade, disponibilidade e resiliência permanente dos sistemas e dos serviços de tratamento;
  3. a capacidade de restabelecer a disponibilidade e o acesso aos dados pessoais de forma atempada no caso de um incidente físico ou técnico;
  4. um processo para testar, apreciar e avaliar regularmente a eficácia das medidas técnicas e organizativas para garantir a segurança no

Por pseudonimização entende-se o tratamento de dados pessoais de forma que deixem de poder ser atribuídos a um titular de dados específico, sem recorrer a informações complementares. Este tratamento exige que essas informações complementares sejam mantidas separadamente e sujeitas a medidas técnicas e organizativas para assegurar que os dados pessoais não possam ser atribuídos a uma pessoa singular identificada ou identificável. É uma técnica de reforço da privacidade, embora não exclua a aplicação de outras eventuais medidas de protecção de dados.

11.   Violação de Dados Pessoais

As violações de dados pessoais traduzem-se em quebras de segurança que provocam, de modo acidental ou ilícito, a destruição, a perda, a alteração, a divulgação ou o acesso não autorizado a dados pessoais transmitidos, conservados ou sujeitos a qualquer outro tipo de tratamento.

A detecção de um incidente de segurança da informação poderá ter origem em diversas situações – ex. um colaborador perde o portátil e comunica o incidente, um cliente verifica uma situação anómala e comunica-a a um colaborador, uma equipa de segurança detecta actividades suspeitas no comportamento de uma aplicação.

Uma violação de dados pessoais poderá ter origem em:

  1. Violação de confidencialidade: sempre que se verifique a divulgação de ou acesso a dados pessoais de forma não autorizada ou acidental;
  2. Violação de disponibilidade: sempre que se verifique a perda de acesso ou a destruição de dados pessoais de forma não autorizada ou acidental;
  3. Violação de integridade: sempre que se verifique a alteração de dados pessoais de forma não autorizada ou

Em caso de violação de dados pessoais, a URBANFIT deve notificar a autoridade de controlo, sem demora injustificada e, sempre que possível, até 72 horas após ter tido conhecimento da mesma, a menos que a violação não apresente risco para os direitos e liberdades dos titulares. Se esta notificação exceder o prazo de 72 horas, a URBANFIT deverá fundamentar o atraso.

Para além da notificação à autoridade de controlo, deverá comunicar-se a violação de dados pessoais ao respectivo titular, sem demora injustificada, quando esta violação implicar um risco elevado para os direitos e liberdades das pessoas singulares.

A URBANFIT é também responsável por manter um registo de evidências das acções correctivas implementadas.

No caso de a URBANFIT ser subcontratante, a notificação é feita ao responsável pelo tratamento de dados pessoais, sem demora injustificada.

12. Registo das actividades de tratamento

A URBANFIT terá de conservar e manter actualizado um registo de todas as actividades de tratamento sob a sua responsabilidade. Este registo deverá contemplar as seguintes informações:

  1. Nome e contactos da URBANFIT, do proprietário e do encarregado de protecção de dados;
  2. As finalidades do tratamento dos dados pessoais (ex. serviços farmacêuticos, gestão administrativa e de recursos humanos);
  3. A descrição das categorias de titulares de dados (cliente, colaborador ou fornecedor) e das categorias de dados pessoais (ex. nome, data de nascimento, género, detalhes da medicação do cliente/utente e nome, morada, contactos, data de nascimento do colaborador);
  4. As categorias de destinatários a quem os dados foram ou serão divulgados (ex. unidades de saúde, profissionais de saúde, autoridades reguladoras, entidades comparticipadoras);
  5. Transferências de dados pessoais para países terceiros, caso existam, em particular para fora da União Europeia, bem como a documentação que comprove a existência das garantias adequadas;
  6. Se possível, prazos para apagamento das diferentes categorias de dados pessoais;
  7. Se possível, descrição geral das medidas técnicas e organizativas no domínio da segurança.

Nos casos em que a URBANFIT actue enquanto subcontratante, deverá igualmente conservar um registo de todas as actividades de tratamento de dados pessoais realizadas em nome do responsável pelo tratamento de dados pessoais. Este registo, deve conter, no mínimo, a seguinte informação:

  1. Nome e contactos de cada responsável pelo tratamento de dados pessoais, em nome do qual o subcontratante actua, bem como, sendo caso disso, do representante do responsável pelo tratamento de dados pessoais ou do subcontratante e do encarregado da protecção de dados;
  2. As categorias de tratamentos de dados pessoais efectuados em nome de cada responsável pelo tratamento de dados pessoais;
  3. Transferências de dados pessoais para países terceiros, caso existam, em particular para fora da União Europeia, bem como a documentação que comprove a existência das garantias adequadas;
  4. Nome e contactos de subcontratante contratado, se aplicável;
  5. Se possível, uma descrição geral das medidas técnicas e organizativas no domínio da segurança no respectivo tratamento de dados

13.   CCTV

A URBANFIT deve utilizar sistemas de videovigilância (CCTV) para captação e gravação de imagem com o objectivo de proteger pessoas e bens, ao abrigo da Lei 34/2013, de 16 de Maio, artigo 8º.

Estes sistemas devem, no entanto, garantir a privacidade e o respeito pelos direitos fundamentais dos titulares, não podendo incidir sobre:

  1. Vias públicas ou propriedades limítrofes;
  2. Caixas multibanco ou terminais de pagamento ATM, de modo a permitir captar a digitação dos códigos;
  3. Interior de áreas reservadas a clientes ou potenciais clientes, designadamente, instalações sanitárias e gabinetes de atendimento;
  4. Interior de áreas reservadas aos trabalhadores, designadamente, vestiários e instalações sanitárias.

As gravações de imagem obtidas pelos sistemas de videovigilância são conservadas, em registo codificado, pelo prazo de 30 dias contados desde a respectiva captação, findo o qual são destruídas.

Todas as pessoas que tenham acesso às gravações realizadas, em razão das suas funções, devem sobre as mesmas guardar sigilo, sob pena de procedimento criminal.

É obrigatória a afixação, em local bem visível, da existência e localização das câmaras de vídeo, fazendo- se acompanhar de simbologia adequada.

NOTICIAS

OS CLUBES

clubes_icon_4

Os CLUBES URBANFIT caracterizam-se por serem espaços modernos, com equipamentos de última geração para o treino de força e cardiovascular, assim como estúdios de aulas de grupo de grandes dimensões, com um horário alargado e extremamente diversificado

clubes_icon_3

A marca foi inaugurada em Setembro de 2013, estando posicionada como um Smart Low Cost, oferecendo preços baixos associados a um conjunto de serviços de elevada qualidade, desde a estética, massagens, alimentação, nutrição e o treino

clubes_icon_2

Trabalhamos com equipas multidisciplinares, empenhadas em garantir que a sua saúde, bem-estar  e condição física ficam entregues ao cuidado de profissionais habilitados
e qualificados

clubes_icon_1

Os CLUBES URBANFIT são muito mais do que simples ginásios, sendo espaços de referência junto da comunidade local.

URBAN FIT

 ERMESINDE

null

CLIQUE PARA VER MAIS

 MAIA

null

CLIQUE PARA VER MAIS

 GAIA

null

CLIQUE PARA VER MAIS

 FOZ

null

CLIQUE PARA VER MAIS

MAPA DE AULAS

 ERMESINDE

null

CLICA PARA VER

 MAIA

null

CLICA PARA VER

 GAIA

null

CLICA PARA VER

 FOZ

null

CLICA PARA VER

SERVIÇOS

servicos_icon_2

SMALL GROUP TRAINING

 Sessão específica para treinos com mais de duas pessoas. Adaptável a qualquer objectivo. Treine com o seu grupo de amigos, e atinja os seus objectivos de uma forma divertida e desafiante.

servicos_icon_6

AVALIAÇÃO FÍSICA

Serviço disponível no nosso Clube, onde os profissionais fazem uma análise à composição corporal e bioimpedância, assim como uma pequena anamnese com a estratificação de risco, para realizar a prescrição do treino da forma mais individualizada, segura e pormenorizada possível, para que os objectivos pretendidos sejam sempre metas alcançáveis.

servicos_icon_3

VENDING

Espaço de convívio, a pensar naqueles que gostam de beber um café antes da aula ou recuperar energia com um snack depois do treino. Disponível em todos os clubes.

servicos_icon_4

NUTRIÇÃO

Serviço incluído na mensalidade. O Clube dispõe de 2 gabinetes de nutrição, onde o sócio é aconselhado e lhe é elaborado o Plano Nutricional Individualizado pelos nossos Nutricionistas, com base numa análise pormenorizada da sua composição corporal, objectivos e necessidades, que o irão ajudar a alcançar os objectivos que sempre desejou.

servicos_icon_1

PERSONAL TRAINING

Possuímos programas de treino de acordo com as suas necessidades. Obtenha resultados mais rápidos, de uma forma segura e eficaz. Conheça os nossos programas de Redução de Massa Gorda, +Força, +Resistência, +Tonificação, +Saúde e Grávida Ativa.

PT
Sessão especifica de treino individualizado. Adaptável a qualquer objectivo.

PT DUO
Sessão especifica para treinos com duas pessoas. Adaptável a qualquer objectivo.

servicos_icon_5

POWER PLATE ®

Para quem tem pouco tempo e procura ver resultados rápidos, a Power Plate é uma ótima escolha. Plataforma vibratória que potencia a realização dos vários exercícios, trabalhando toda a musculatura, utilizando os princípios de Acceleration Training™. É um equipamento indicado para qualquer tipo de população, obtendo-se resultados mais rápidos, em sessões de treino mais curtas, com vários benefícios, desde a redução dos níveis de stress até ao fortalecimento muscular, ósseo, melhoria da circulação, mobilidade e flexibilidade, anti-celulite, emagrecimento, entre outros.

servicos_icon_7

AULAS DE GRUPO

Com mais de 220 aulas de grupo semanais, venha alcançar os seus objectivos de uma forma divertida. Aulas enérgicas e sempre orientadas por profissionais credenciados. Atreve-te a experimentar!

RPM | CYCLING | TAI CHI | YOGA | PILATES | PILATES C/ BOLA ALONGAMENTOS | CORPO E MENTE | PILATES C/ BOLA | PILATES C/ PEQUENOS MATERIAIS | BODY BALANCE | BODY ATTACK | BODY COMBAT | BODY JAM | SH’BAM | ZUMBA | BODY PUMP | TOTAL CONDICIONAMENTO | POWER JUMP | GAP | KIZOMBA | INSANITY | STEP COREOGRAFADO | ABS | CROSS FIT | TRX | CIRCUIT TRAINING | HIIT | AERO KICK | TREINO FUNCIONAL | FIT BOXE | LOCALIZADA | RUNNING EXTERIOR | FULL BODY 20′ | EXTREMEFIT 20′

servicos_icon_5

BAR

Antes ou Após uma sessão estimulante de treino, reponha as suas energias no nosso Urbanfood com um sumo de laranja fresco ou uma taça de açaí com granola.
Alimente-se de acordo com o seu estilo de vida com os saborosos menus que preparamos diariamente. Na preparação dos nossos menus apenas utilizamos produtos naturais e ingredientes frescos e com muito sabor. O resultado só poderia ser: comida saudável, saborosa e muito nutritiva.Venha visitar-nos!

Estamos abertos ao público.
Urbanfood disponível no Clube da Maia e da Foz.

JUNTA-TE À EQUIPA

JUNTA-TE À EQUIPA

CONTACTOS



URBAN FIT Ermesinde
Alameda da Rua José Joaquim Ribeiro Teles, 218B, 4445-485 Ermesinde
Tlm. 92 438 80 83 /4 /5
Email. geral@urbanfit.pt
Ver Mapa a
Horário de Funcionamento*
2ª a 6ªfeira: 07h00 – 24h00
sábados: 09h00 – 21h00
domingos e feriados: 09h00 – 14h00

SEGUE-NOS  

a

URBAN FIT Maia
Rua Dr. Gonçalo Araújo,167, 4470-393 Maia
Tlm. 960 157 583 / 86 / 91
Email. maia@urbanfit.pt
Ver Mapaa
Horário de Funcionamento*
2ª a 6ªfeira: 07h00 – 24h00
sábados: 09h00 – 21h00
domingos e feriados: 09h00 – 14h00

SEGUE-NOS   

URBAN FIT Gaia
Rua Eng. Adelino Amado da Cost, 138/140  Mafamude,  4400-134 Vila Nova de Gaia
Tlm. 936 836 031 /2 /3 /4
Email. gaia@urbanfit.pt
Ver Mapa
Horário de Funcionamento*
2ª a 6ªfeira: 07h00 – 24h00
sábados: 09h00 – 21h00
domingos e feriados: 09h00 – 14h00

SEGUE-NOS   

a

URBAN FIT Foz
Caminho Fonte de Cima, 33 Loja 131, 4150-338 Porto
Telm.937838241/2/3/4
Email. foz@urbanfit.pt
Ver Mapa
Horário de Funcionamento*
2ª a 6ªfeira: 07h00 – 24h00
sábados: 09h00 – 21h00
domingos e feriados: 09h00 – 14h00

SEGUE-NOS   

* As atividades encerram 30 minutos antes da horas de fecho

CONTACTOS

URBAN FIT Ermesinde
Alameda da Rua José Joaquim Ribeiro Teles, 218B, 4445-485 Ermesinde
Tlm. 92 438 80 83 /4 /5
Email. geral@urbanfit.pt
Ver Mapa  

URBAN FIT Maia
Rua Dr. Gonçalo Araújo, 167
4470-393 Maia
Tlm. 960 157 583 / 86 / 91
Email. maia@urbanfit.pt
Ver Mapa  

URBAN FIT Gaia
Rua Eng. Adelino Amado da Costa, 138/140
Mafamude 4400-134, Vila Nova de Gaia
Tlm. 936 836 031 /2 /3 /4
Email. gaia@urbanfit.pt
Ver Mapa  

URBAN FIT Foz
R. do Caminho da Fonte, 33 Loja 131, 4150-338 Porto

Telm.937838241/2/3/4

Email. foz@urbanfit.pt
Ver Mapa